Adicionar ao saco de compras
Voltar ao catálogo

Dimensões: 368p., 15,0x22,5
Edição: Dafne Editora, Porto
Data: Setembro de 2018
DL: 445486/18
ISBN: 978-989-8217-45-5
Preço: Vinte e quatro euros e vinte e quatro cêntimos
Design: João Faria / DROP
José Ferrão Afonso
A Herança do Muratore
Francisco de Cremona, Manuel Luís e a arquitetura do noroeste de Portugal no século XVI


Francisco de Cremona, o muratore trazido de Itália em 1525 pelo embaixador de D. Manuel I no Vaticano, D. Miguel da Silva, deixou uma obra assinalável na Foz do Douro, no Porto. O ambiente renascentista italiano em que trabalhou refletiu-se nela e em toda uma série de programas nortenhos que, até aos meados do século XVI, data provável da sua morte ou possível regresso a Itália, adotaram o seu modo. Alguns desses programas, aliás, poderão ter tido a sua participação, sobretudo a partir de 1540, data em que o seu patrono, então já bispo de Viseu, teve de regressar a Itália. Manuel Luís, cuja atividade se inicia quando a de Cremona termina, pode ser considerado o seu sucessor: no início da carreira esteve sobretudo ativo no Porto, tendo sido muito marcado pela obra dos Ruão, do Diogo de Castilho inicial e pelo seu hedonismo decorativo; posteriormente, seria a figura decisiva na definição de uma arquitetura sacra reformada no noroeste de Portugal, tendo morrido em 1604 como arquiteto privativo do arcebispo de Braga D. Frei Agostinho de Jesus.

JOSÉ FERRÃO AFONSO é licenciado e mestre em História da Arte pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto e doutorado em Teoria e História da Arquitetura pela ETSA B da UPC em Barcelona. É ainda professor da Escola das Artes da Universidade Católica Portuguesa e investigador do CITAR e do CEAU.



Farol de São Miguel-o-Anjo na Foz do Douro. Fotografia de António Vasconcelos

Título
X