Adicionar ao saco de compras
Voltar ao catálogo

Dimensões: 184p., 15,0x22,5 | 440g
Edição: Dafne Editora, Porto
Data: Março de 2008
DL: 271 651/08
ISBN: 978-989-95159-7-0
Preço: Dezassete euros e dezassete cêntimos
Design: Gráficos do Futuro
Domingos Tavares
Francisco Farinhas
Realismo moderno


Quem foi Francisco Farinhas, "o Diamantino" de Pardilhó, a quem o desastre de um lugre abriu espaço, por herança, para ser construtor da terra firme? Esta é uma história que fala pouco do homem como indivíduo, suas aventuras e desgostos, mas questiona constantemente o que é isso, afinal, do ser arquitecto e arquitectura. Nele se manifesta desde cedo a inquietude de quem aspira sempre mais para a sua realização pessoal. Mas, a par do exercício egocêntrico de afirmação no interior do seu grupo social, surge inevitavelmente um outro estádio de desejo para se enquadrar no grupo mais poderoso, numa procura incessante de afirmação. E em cada momento se revela o gosto pela arte, não como um meio para justificar a sua razão de existir ou para se colocar em estado de equilíbrio com o mundo que o rodeia em cada etapa da vida, mas como uma necessidade natural de contribuir para a realização do homem total no seu próprio tempo, com a consciência dos meios e capacidades limitadas de que dispunha e orgulhoso de tirar o máximo partido dos recursos postos à sua disposição para deixar uma obra que entendia ser a arte possível em benefício dos seus concidadãos. Que era afinal um testemunho da sua passagem pela vida.

As necessidades expressivas que se desenvolvem no seio das diversas comunidades locais são dificilmente satisfeitas através da acção dos mais consagrados artistas da forma, que se empenham em encontrar soluções de ruptura fora do alcance ou entendimento do senso comum, quando não se reduzem a um simplismo depurado próximo da atitude de neutralidade. Ao contrário, é no campo dos consensos básicos em que os usuários aceitam a moda imposta sem qualquer intenção estilística numa receptividade acrítica, que se movem alguns espíritos mais inquietos, procurando encontrar respostas directas ao gosto espontâneo, com o prazer de sentir que podem estar a criar uma arte de valor individual reconhecido. São artistas no verdadeiro sentido do termo, porque se colocam numa posição realista indo ao encontro dos anseios das pessoas simples. Acabam por produzir uma arte por vezes de elevado mérito, sendo capazes de absorver métodos construtivos postos em dia pelo recurso às técnicas de comercialização por impacto a que recorrem as empresas modernas. Não lhes repugna o uso de materiais brilhantes, coloridos, atraentes ao olhar, capazes de organizar a imagem vistosa posta em evidência até nos contínuos construídos, seja pela facilidade de inovação que oferecem, seja pela confiança que sugerem quanto à eficácia e durabilidade.

DOMINGOS TAVARES (Ovar, 1939) é arquitecto e Professor Emérito da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, onde ensinou desde 1985 a disciplina que deu origem às Sebentas de História da Arquitectura Moderna publicadas pela Dafne Editora desde 2003. Autor dos livros Da Rua Formosa à Firmeza (Faup, 1985) e Francisco Farinhas Realismo Moderno (Dafne, 2007).



Francisco Farinhas, Casa no Torrão do Lameiro.

Título
X