Adicionar ao saco de compras
Voltar ao catálogo

Dimensões: 200p., 21,6x26,2 | 920g
Edição: Dafne Editora
Data: Março de 2019
DL: 447229/18
ISBN: 978-989-8217-47-9
Preço: Trinta euros
Design: Pedro Nora
André Cepeda e Nuno Brandão Costa
São João de Deus


São João de Deus é um lugar que parece ter nascido sob o signo da violência. Com a construção do Bairro de Rebordões, entre 1941 e 1944, este lugar marginal da cidade do Porto foi palco das mais profundas oscilações das políticas públicas de habitação, e da instabilidade da vida pública e privada de quem ali habitou. Apesar disso, São João de Deus nunca perdeu a sua luz mágica. No momento da edição deste livro está a concluir-se uma obra de renovação e ampliação das casas cujo projecto de arquitectura, de Nuno Brandão Costa, procura trazer nova esperança ao lugar.

Ao longo de vários anos, o fotógrafo André Cepeda acompanhou a vida de São João de Deus, numa relação de proximidade entre o olhar, o espaço, a sua natureza e as suas vivências. Através da imagem, este livro procura conjugar os vários tempos do lugar, e mostrar a obra e a construção da arquitectura como parte de um tempo e de uma história.

Os textos de Pedro Levi Bismarck e Sérgio Mah percorrem as páginas das políticas da habitação e da cultura da imagem para consolidar, no livro desenhado por Pedro Nora, a síntese de um lugar, um breve lapso no tempo da construção das formas da arquitectura e dos modos de vida em São João de Deus.

 

ANDRÉ CEPEDA (Coimbra, 1976) vive e trabalha em Lisboa. O seu trabalho tem sido apresentado em galerias, museus e instituições de vários países. É autor de livros entre os quais se destacam Depois (2016), Rua Stan Getz (2015), Rien (2012 e 2014), Ontem (2010).


NUNO BRANDÃO COSTA (Porto, 1970). É formado pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (1994), onde leciona desde 2001. Colaborou com Herzog & de Meuron em Basileia (1992-1993) e José Fernando Gonçalves e Paulo Providencia no Porto (1993-1997). Tem atelier próprio no Porto desde 1998. Foram-lhe atribuídos os prémios Revelação e Mérito do Jornal Expresso-SIC em 2004, Secil em 2008 e Vale da Gandara em 2011.



Título
X