Voltar ao catálogo

Dimensões: 16p., 15,0x22,5
Edição: Dafne Editora, Porto
Data: Novembro de 2007
DL: 246357/06
ISBN: 1646-5253
Preço: Gratuito
Design: granja
Susana Ventura
O Ovo e a Galinha


«(…) Se todas as outras personagens são a representação (a palavra escrita, quer se queira ou não, é uma representação tal como o desenho) de pessoas banais, comuns, que habitam os espaços das nossas cidades, dos nossos edifícios, dos nossos vazios, o ovo e uma galinha, fazendo parte, por vezes, do nosso quotidiano, na frigideira ou no forno do fogão, não nos obrigam a pensar sobre o espaço ou sobre a arquitectura. Com certeza, estes também não são um ovo e uma galinha quaisquer (…). Poderá pensar-se, até, que é absurdo pensar sobre arquitectura a partir da história de um ovo e de uma galinha. A ficção, no entanto, tudo permite. É um mecanismo que testa o próprio limite das palavras como símbolos. Como diz Louise Bourgeois, As palavras interligadas podem revelar novas relações... uma nova visão sobre as coisas. Em arquitectura, também. Nunca podendo igualar o espaço tal como existe, as palavras sobre o espaço podem desencadear novos espaços, mesmo que permaneçam, para sempre, nas palavras, no pensamento. Aqui.»

Este opúsculo escreve-se a partir de dois contos da autora brasileira Clarice Lispector, «Uma galinha» in Laços de Família, Lisboa, Relógio d'Água, s/d, pp. 27–29. Clarice Lispector, «O ovo e a galinha» in Contos, Lisboa, Relógio d'Água, Maio 2006, pp. 46–54.

SUSANA VENTURA (Coimbra, 1978), formou-se no Departamento de Arquitectura da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra em 2003. Actualmente prepara dissertação de Doutoramento sobre o corpo sem órgãos da arquitectura na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.



Título
X