Título
X
 
 

Opúsculo 100 ?
Centenário de Oscar Niemeyer

15 de Dezembro de 2007



O centenário de Oscar Niemeyer tem motivado numerosas celebrações e elogios ao autor. Arquitecto maior do século passado, cuja afinidade linguística e cultural com Portugal é indiscutível, a Dafne não quis deixar de lhe prestar a sua homenagem.
Pode dizer-se que a sua obra mais intensa e inquieta abriu novas perspectivas à compreensão dos valores que as construções do Homem podem transportar. Mas que melhor homenagem do que contribuir para a abertura de um discurso crítico atento? 
Este texto de Guilherme Wisnik, conterrâneo de Oscar, percorre a sua biografia inscrevendo-a nas movimentações políticas e culturais do Brasil e reconhece no arquitecto a sua intuição acerca do destino humano.

Museu de Caracas, 1954, projectado aos 47 anos de idade.

 

Os fantasmas de Serralves
Apresentação do livro

27 de Novembro de 2007



Na próxima terça-feira, pelas 21h30, na Casa de Serralves, a Dafne Editora vai apresentar o livro Os fantasmas de Serralves da autoria de André Tavares. 
A Casa de Serralves é uma obra singular no contexto português e uma das expressões mais conservadas de um certo modo de construir e pensar a arquitectura que marcou a europa no período entre guerras.
Conduzido por Carlos Alberto Cabral, o processo de desenho e construção da casa foi acompanhado pelo arquitecto Marques da Silva e contou com a participação dos arquitectos parisienses Charles Siclis, Jacques-Émile Ruhlmann e Jacques Gréber. Este livro apresenta a biografia dos arquitectos parisienses e desvenda as peripécias de construção da casa e dos jardins, através da leitura e interpretação de materiais originais existentes em arquivos do Porto e Paris. O livro incluí o texto Fragmentos de uma biografia inacabada por José Salgado. 

O autor, André Tavares (Porto, 1976) é arquitecto pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto (2000). Em 2005 publicou o livro Arquitectura antituberculose, trocas e tráficos na construção terapêutica. 

Para além de uma apresentação do autor, a sessão contará com os contributos críticos do professor António Cardoso e do arquitecto paisagista Victor Beira-Mar Diniz. A apresentação é organizada com o gentil apoio da Fundação de Serralves e do Instituto Marques da Silva.

Ver sinopse do livro | Encomendar livro

Este e outros livros da Dafne Editora estão disponíveis nas melhores livrarias do Porto, Braga, Viseu, Coimbra, Lisboa, Évora, Faro, Montemor-o-Novo, Torres Vedras, Funchal, Ponta Delgada, e não só… Pode também fazer encomendas através da nossa página na Internet www.dafne.pt 

Estudo de Jacques-Émile Ruhlmann. ©Musée des années 30

 

O Ovo e a Galinha
Opúsculo de Susana Ventura

12 de Novembro de 2007



O Opúsculo que agora se publica explora as hipóteses ficcionais das nossas pequenas construções literárias sobre arquitectura. Se há muitos textos e formulações teóricas sobre a habitação – e são até famosos alguns projectos de casotas de cão ou casas para pinguins – o tema da capoeira e as perplexidades que pode gerar na prática do arquitecto é uma especialidade rara.

A Dafne espera que os seus amigos leitores se deleitem com esta possibilidade gastronómica e literária.

 

Arquitectura em Lugares Comuns
Concurso de Ideias

31 de Outubro de 2007



Organizado em conjunto pela Dafne Editora e pelo Departamento Autónomo de Arquitectura da Universidade do MinhoArquitectura em Lugares Comuns pretende ser um fórum aberto de debate sobre as problemáticas que envolvem a intervenção no território urbano contemporâneo. Este território é caracterizado por morfologias que já não cabem na tradicional dicotomia cidade-campo. 

Este projecto desdobra-se em quatro componentes: um concurso de ideias, uma exposição, um seminário e a publicação de um livro. O seminário, a exposição e o lançamento do livro estão previstos para os dias 3 e 4 de Abril de 2008. O concurso será apresentado e aberto na próxima quarta-feira, dia 31 de Outubro de 2007, numa sessão que terá lugar em Guimarães, no Daaum, pelas 17h00. 

Concurso de Ideias Transições no Vale do Ave propõe premiar e debater soluções inovadoras para áreas inseridas no difuso do Vale do Ave. É um território que resulta de princípios de ocupação plurifuncionais – que misturam serviços, habitação, indústria e agricultura – suportados numa extensa rede de infra-estruturas. Procuram-se soluções para os lugares comuns contempoâneos que não se esgotem no desenho do edifício, nem no desenho urbano tradicional. Num contexto de mudança de paradigmas não são apenas os lugares que mudam, devem mudar também as exigências de quem os muda e os próprios instrumentos da arquitectura. É necessário inventar novas formas de intervir. 

Os detalhes do concurso podem ser consultados na páginawww.arquitecturaLC.org 

Toda a correspondência relativa ao concurso deverá ser enviada por correio electrónico para o endereço concurso@arquitecturaLC.org . A inscrição, possível a partir de dia 31 de Outubro, é gratuita e deverá obrigatoriamente ser feita por correio electrónico.

 

Um livro nunca vem só...

12 de Outubro de 2007



Os nossos amigos leitores já estão de sobreaviso para o debate da próxima sexta-feira, a propósito do livro de Domingos Tavares,António Rodrigues, renascimento em Portugal.
Mas como um livro nunca vem só, sexta-feira será também oportunidade para apresentar o livro sobre Bernardo Rosselino, que concentrou a sua energia criadora no desenho do espaço público de Pienza, concebendo não só vários edifícios mas, principalmente, transformando a praça central na sala de visitas da nova cidade, desenhada como arquitectura de sabor clássico e com forte significação urbana.

E como a publicação de um livro é sempre motivo de festa, a Dafne convida os seus amigos para se juntarem ao beberete após o debate, no átrio da Faculdade de Arquitectura, pelas 18h30 de sexta-feira.

Se desejar encomendar estes dois livros, ou outros, através da Internet, é possível fazê-lo na área de encomendas do site da Dafne(clique aqui e vai lá ter). A forma mais prática tem sido o envio à cobrança. 

 

Arquitectura do Renascimento em Portugal
Existiu?

12 de Outubro de 2007



Quando surgiu em Portugal a figura do arquitecto? Quando apareceu no nosso quadro de produção arquitectónica um artista de concepção trabalhando no plano puramente intelectual? Será que foi no ambiente do fazer obra nova para a dignificação do rei, do reino, da sociedade urbana e burguesa saída da Revolução de 1383, consolidada nos séculos que se seguiram através do progressivo alargamento das instituições do estado representadas na casa real sob controle administrativo centralizado? 

A questão que se coloca é a da formação de um entendimento modificado para a arquitectura portuguesa, focalizada na importação de uma atitude intelectual de autor como a definiu Leon Battista Alberti, numa concepção global das formas sob o tema da linguagem recuperada da antiguidade greco-romana. Arte liberal por oposição à tradição das artes mecânicas em que se inseriam os construtores da época precedente. Existiu em Portugal um processo original, na linha do primeiro renascimento, anterior à atitude maneirista? 

O código das artes renascentistas, saído do espaço artístico focalizado em Florença, passou de um momento precoce de natureza humanista para a consolidação do predomínio formal abstracto. Isso aconteceu longe da humanidade original dos programas que motivaram Fillipo Brunelleschi e outros autores da primeira geração até atingir, nos livros de Serlio e Vignola, níveis de um formalismo exacerbado, já dito maneirista. Se os nossos artistas dessa época copiaram de Serlio, fascinados pela moda «serliana», haverá ainda oportunidade de considerar o seu comportamento como o de autênticos renascentistas numa atitude de natureza humanista à maneira clássica?

Sessão de debate na tarde de 12 de Outubro de 2007 (das 14:30 às 18:30), no auditório Fernando Távora da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, com a participação de:
Alexandre Alves Costa, Jorge Correia, Marieta Dá Mesquita, Marta Oliveira, Paulo Pereira, Rafael Moreira, Walter Rossa, Domingos Tavares. 

Por motivos de organização agradecemos a inscrição antecipada. É gratuita e deve ser feita através de email a dafne@dafne.com.pt. 

No final da sessão haverá um pequeno beberete convivial onde serão congeminados os próximos livros. 

António Rodrigues, Capela das Onze Mil Virgens, Alcácer do Sal.

 

Sebentas em Festa
no dia 12 de Outubro

1 de Outubro de 2007



12 de Outubro é dia de festa. A colecção Sebentas de História da Arquitectura Moderna vai chegar a meio caminho de estar completa. Nesse dia vão ser lançados os livros dedicados a Bernardo Rosselinoe ao arquitecto portugês António Rodrigues.

Para assinalar os 4 anos de actividade da Dafne Editora, organizou-se um debate sobre a presença da cultura clássica no panorâma português, mais precisamente, sobre uma eventual Arquitecura do Renascimento em Portugal. A pergunta que se impunha era simples:Existiu?

A sessão de debate vai decorrer durante a tarde (das 14:30 às 18:30) no auditório Fernando Távora, na Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, e contará com a presença de vários especialistas da matéria que nos darão as suas respostas.

No final da sessão haverá um pequeno beberete convivial onde serão congeminados os próximos livros.

Por motivos de organização agradecemos a inscrição antecipada. É gratuita e deve ser feita por email a dafne@dafne.com.pt

Consulte o programa detalhado em www.dafne.pt 

António Rodrigues, Capela das Onze Mil Virgens, Alcácer do Sal.

 

Opúsculo com vista para o mar
de Inês Moreira

3 de Setembro de 2007



Em sintonia com a época estival, o Opúsculo de Inês Moreira propõe-nos uma reinvenção crítica do retiro mediterrânico de Le Corbusier. O arquitecto, para além da ambição maquinista e plástica, síntese entre a arte a ténica, não prescindiu de um petit cabanon para lugar de deleite e de uso informal. Hoje, a ideia da sua forma imaterial é propícia para ser reinstalada num centro comercial da cidade, algures entre as galerias de arte, e servir de plataforma capaz de acolher múltiplas aspirações culturais. 

Para os leitores menos audazes nas manipulações informáticas, a nossa amiga Dafne insiste em recordar que os computadores tendem a confundir os Opúsculos com publicidade. Os ficheiros com os textos podem ser facilmente descarregados, mas é preciso que cada leitor diga ao seu computador para não bloquear as janelas ditas «pop-up».

Petit Cabanon no Centro Comercial Bombarda, Porto.

 

Dupli_cidade e a flânerie contemporânea
Opúsculo de Luís Urbano

2 de Julho de 2007



«A personagem literária do flâneur foi caracterizada por Baudelaire, no livro O pintor da vida moderna, como um vagabundo aristocrata que deambula pela paisagem urbana, um espectador apaixonado que encontra lugar no coração da multidão, cercado no fluxo e refluxo do movimento, isto é, na própria contingência da modernidade. O flâneurnão tem motivação aparente, não carrega o peso da erudição nem da memória do passado, não tem direcção nem objectivo. O seu propósito é uma rendição passiva ao fluxo aleatório e surpreendente das ruas. A multidão é o seu território, a sua profissão é misturar-se com a multitude. Para o perfeito flâneur, um observador apaixonado, torna-se uma imensa fonte de prazer viver entre a mole humana, estar longe mas sentir-se em casa em qualquer lado, ver o mundo, habitar o seu centro e ainda assim permanecer escondido. O estado de espírito peculiar do flâneur, do moderno vagabundo, é a solidão. A massa em seu redor serve para acentuar este isolamento, permite-lhe o contacto humano, que o inspira, mas não interrompe o seu percurso solitário.» 
(...)

Para quem não conhece, Opúsculos é uma colecção de pequenas obras de autores portugueses onde se dão a conhecer diferentes perspectivas contemporâneas sobre a Arquitectura, a sua prática e teorias e o que se pensa e debate em Portugal. Estas pequenas construções literárias sobre arquitectura estão disponíveis gratuitamente na página da Dafne Editora.

Boulevards contemporâneos

 

Donato Bramante
Arquitectura da ilusão

15 de Junho de 2007



A colecção «Sebentas de História da Arquitectura Moderna» vai de vento em popa com o lançamento do seu 9.º livro, Donato Bramante, personagem que foi considerado o representante do renascimento pleno, do momento da perfeição que, como o instante que rapidamente se desvanece, apresenta o cúmulo da obra perfeita e logo se desequilibra na presunção de uma grandeza realmente ilusória. 

O livro lê também a obra de um Leonardo da Vinci especulativo, inconstante, cujos apontamentos parecem conduzir as explorações sobre a problemática do espaço central que fora a preocupação de toda a primeira geração de arquitectos florentinos. E, dessa aproximação em que o homem continua a aparecer como justificador das formas criadas, aborda-se o tema da organização da praça pública nos lugares centrais dos burgos mercantis, muito dependentes das estruturas de consolidação das relações humanas. Competindo aos artistas da produção da imagem pictórica plana simular a terceira dimensão, também Bramante invadiu o território das artes da produção concreta do espaço e recorreu à «doce perspectiva» para realizar o impossível. Era apenas mais um sintoma da crise do tempo, vencer cada dificuldade fingindo que ela não existe, ignorando a dura condição do quotidiano. 

Ver resumo do livro | Encomendar livro

Este e outros livros da Dafne Editora estão disponíveis nas melhores livrarias do Porto, Braga, Viseu, Coimbra, Lisboa, Évora, Faro, Montemor-o-Novo, Torres Vedras, Funchal, Ponta Delgada, e não só… Pode também fazer encomendas através da nossa página na Internet www.dafne.pt 

Leonardo da Vinci : estudos urbanos

 

Eco-design: Conversa Triangular
com Miguel Veríssimo, Inês Moreira e Bruno Baldaia

30 de Maio de 2007



Inserida na programação cultural Ciclo Planeta Terra, promovida pela Fnac, teve lugar na quarta-feira, dia 30 de Maio, pelas 22 horas uma conversa em torno da problemática do eco-design.

A conversa entre Miguel VeríssimoInês Moreira Bruno Baldaia, três arquitectos com diferentes práticas profissionais, circulará entre as hipóteses de inventar novos sistemas e metodologias para os espaços e as formas do habitar, partindo da reflexão sobre a ideia de ciclo de vida, do projecto, da construção, da utilização, da desconstrução e por aí em diante. 

Organização Fnac Gaiashopping & Dafne Editora

Eco-design para a arquitectura

 

Elenco para uma arquitectura doméstica
Opúsculo de Rui Ramos

17 de Maio de 2007



A partir da análise crítica de uma casa recentemente projectada e construída, este Opúsculo procura descortinar as linhas de continuidade que vinculam a produção de hoje com a herança moderna. A Casa em Vila Marim, projectada por Jorge Figueira, mantém sinais que permitem redescobrir essa genealogia. E, no campo da arquitectura doméstica, pode ser entendida como um elenco ou índice, indicando-nos permanências e interrupções, cruzamentos e sonhos que, percorrendo o século do habitar moderno, se precipitam hoje na arquitectura contemporânea. Esta obra, ao transportar estes aspectos da história e ao actualizá-los pela interpretação do presente, disponibiliza-se como proposta válida para essa leitura.

Desembarcar Opúsculo | Catálogo de Opúsculos

Os pdf's estão disponíveis gratuitamente on-line na área Opúsculos da página Dafne

«Uma casa pequena, deslizante, 
banal/misteriosa»

 

A viagem do arquitecto
Opúsculo de André Tavares

17 de Abril de 2007



Viajar, viajar, viajar… será que entre o turismo alegre e a peregrinação conscienciosa à história haverá, hoje, possibilidade de nos desenvencilharmos do futuro para entendermos um passado mais tranquilo? 

O Opúsculo de André Tavares «As pernas não servem só para andar» poderá acender algum debate sobre as viagens de arquitectura hoje. Uma outra proposta de viagem contemporânea, o projecto Destino Távora de Pedro Bandeira, foi publicada pela Dafne no livro Projectos Específicos para um Cliente Genérico (pp.170-173). 

Desembarcar Opúsculo | Catálogo de Opúsculos

Entretanto, a nossa amiga Dafne leu este opúsculo e partiu para destino incerto. 

– Tentativa n.º 11 –

 

Delírios de poder

21 de Março de 2007



Dizem-nos que não ficou claro. Que as incertezas do espaço virtual não permitiram desfrutrar sem hesitações a leitura dos dois primeiros Opúsculos.
Convém explicar melhor. Os Opúsculos, pequenas construções literárias sobre arquitectura, funcionam como uma espécie de jogo, em que cabe ao leitor desta mensagem carregar no botão “pdf” da página www.dafne.pt. Ultrapassada essa primeira provação, há que contornar os obstáculos naturais da informática que, para evitar publicidade enganosa ou obscena, tendem a bloquear janelas “pop-ups” habituadas a saltar inesperadamente sem aviso prévio. OsOpúsculos estão dentro de uma dessas janelas inusitadas.
Aberta a janela há que fazer o desembarque da peça literária, aguardando o tempo suficiente para que os bites da informação matemática se transformem em caracteres legíveis em cada computador de leitor. 
Por vários motivos ópticos aconselha-se a impressão, com a garantia ecológica de que as cerca de 16 páginas são merecedoras do investimento em cartuchos químicos e papeis celulosos. Apesar de Quioto, há primavera e as flores resistem.

Este mês espera-nos uma divagação sobre as ambições hegemónicas e falíveis dos arquitectos que presumem dominar o campo disciplinar. Dessa sensação de poder resulta uma perda inconsciente do valor poético das coisas. O Opúsculo de Godofredo Pereira delira em torno dessas noções, sem chegar a uma conclusão inequívoca e impossível. O texto é ilustrado com três fotografias de Paulo Catrica, que já tinha colaborado com a Dafne no prefácio ao livro Arquitectura em Portugal.

A nossa amiga Dafne, fugindo de Apolo nas florestas sem medo, deseja a todos leituras sedutoras. 

Paulo Catrica, Quinta Grande

 

Opúsculos
Nova colecção

15 de Fevereiro de 2007



Os Opúsculos são pequenas obras de autores portugueses onde se dão a conhecer diferentes perspectivas contemporâneas sobre a Arquitectura, a sua prática e teorias e o que se pensa e debate em Portugal. A linha editorial não corresponde a nenhum "tema" e não oferece nenhum "estímulo" para fazer convergir os diferentes autores num programa comum. Pode ser um ensaio nunca publicado, um texto que sempre se teve a ambição de escrever e nunca se levou a cabo por falta de oportunidade, uma ideia que expressa noutra circunstância de um modo condicionado. Pode inclusivamente decorrer de outro formato mais desenhado, colorido ou exótico. Será que ao percorrer de forma desordenada diferentes sensibilidades e posturas vão imergir valores comuns? Ou será que, pelo contrário, vai ser impossível coordenar e encontrar linhas de coerência entre diferentes autores?

Com este lançamento são publicados os dois primeiros números da colecção, acessíveis em www.dafne.pt , da autoria de José Capela0 mais 6 Possibilidades, Utilidade da Arquitectura, Pedro Gadanho Para que serve a arquitectura? 
Espera-se conseguir manter uma periodicidade irregular.

Os pdf's estão disponíveis gratuitamente on-line na área Opúsculos da página Dafne.

 

Apresentação do livro de Basilico
Arquitectura em Portugal

25 de Janeiro de 2007



25&27 de Janeiro 2007

A Dafne Editora vai fazer duas pequenas festas de lançamento/apresentação do livro Arquitectura em Portugal de Gabriele Basilico (já em circulação desde Novembro) e teria um grande prazer em contar com a sua presença.
Os eventos terão lugar no dia 25 de Janeiro pelas 22 horas, na Fnac do Gaiashopping uma sessão de apresentação do livro por André Tavares e comentário crítico de José Capela, e no dia 27 de Janeiro na Galeria Municipal de Montemor-o-Velho pelas 16 horas, numa sessão de debate com a participação de Luís Marques Real (Presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho), José António Bandeirinha (arquitecto), João Soares (co-comissário da exposição Desenho nas Cidades), Júlio Sousa Gomes (quarteirão das artes) e Miguel Figueira (arquitecto). 

Este livro resulta dos conteúdos da exposição apresentada na V Bienal de Arquitectura de São Paulo, Desenho nas cidades, arquitectura em Portugal, comissariada por Álvaro Siza, com fotografia de Gabriele Basilico. Centrado em 5 lugares, Porto, Montemor-o-Velho, Idanha-a-Velha, Évora e Lisboa, apresenta obras de Eduardo Souto de Moura, Adalberto Dias, Fernando Távora, OMA – Rem Koolhaas e Ellen Van Loon, GTL Montemor-o-Velho (coordenação Miguel Figueira), Atelier 15 (Alexandre Alves Costa, Ségio Fernandez, José Luís Gomes), Vítor Figueiredo, Álvaro Siza, Gonçalo Byrne e João Luís Carrilho da Graça. 


FNAC Gaiashopping, Quinta-feira 25 de Janeiro, 22 horas.
Galeria Municipal de Montemor-o-Velho, Sábado 27 de Janeiro, 16 horas.

Pode encomendar o livro através da página Dafne no endereço www.dafne.pt

Porto, Elevador dos Guindais, Adalberto Dias. (foto. G.Basilico)

 
2018  2017  2016  2015  2014  2013  2012  2011  2010  2009  2008  2007  2006  2005  2004 
 
Se pretende receber novidades da Dafne Editora, subscreva o nosso correio electrónico.

Subscrever